Para compartilhar idéias!



segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Feliz Natal!!!

Feliz Natal e que essa luz que nos ilumina continue forte em 2013. Cuidado quem vai pegar a estrada...Temos muito que fazer em 2013! E como diz a música do Cidade Negra: permita que o amor invada sua casa. beijos!!!

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

E ainda, o piloto era uma mulher...

Num dia desses bastante nublado ao aeroporto. Enquanto aguardava a chegada de um voo, encontrei uma amiga que estava com duas outras amigas chegando de uma viagem de férias. As três estavam bastante assustadas pois o pouso do avião fora barulhento e com muito balanço. Começamos a comentar sobre as trepidações e o medo de voar. De repente uma delas soltou a frase: “deu muito medo ainda mais que a pilota era mulher”. Perguntei e qual é o problema? A resposta dela: “se precisar não vai ter força pra pilotar o avião”. Claro que retruquei: “numa dessas a perícia da pilota é que fez o pouso da aeronave ter dado certo e todos estarem em segurança”. Soube, também, nesse dia que tem gente que não entra em ônibus quando vê que é uma mulher dirigindo. Fiquei refletindo a respeito. Nós mulheres, já somos 30% de chefes de família e dirigimos 46% de negócios. Temos força para criarmos filhos sozinhas, cuidar dos idosos da família, trabalhar fora, entre tantas tarefas. No entanto, quando nos embreamos em alguma atividade que faça parte do universo masculino, a nossa competência é questionada. Imagino a aviadora Amelia, primeira mulher a pilotar um avião, como rompeu barreiras para que não consideraram a sua atitude uma mera aspiração. Ao invés de nos preocuparmos com o sexo feminino ou masculino, vamos verificar a competência e qualificação da pessoa para a função que exerce. Afinal, se uma mulher é pilota, certamente passou pelo mesmo treinamento que os homens. Durante sua vida profissional, muitas pessoas devem ter tido o mesmo pensamento e feito o mesmo comentário desabonador da moça assustada que chegara de férias. Estamos em 2012 e parece que ainda vivemos na era da “pedra lascada” quando se fala em avanços e conquistas das mulheres. Mesmo tendo uma Presidenta da República no Brasil, continuamos com resquícios da mentalidade machista que nos assombra há séculos.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

25 de novembro: pela não violência contra a mulher

O Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher é uma data estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1999. O dia 25 de novembro homenageia três irmãs ativistas políticas latino-americanas (Pátria, Minerva e Maria Teresa Mirabal) que foram assassinadas em 1961 pela ditadura de Leonidas Trujillo (1930-1961), na República Dominicana. Em todo o mundo, as mulheres se organizam no mes de novembro tendo como bandeira de luta o fim da violência contra a mulher. Ao se tornar um marco pela ONU, o dia nos faz lembrar todas as mulheres vítimas de violência em todos os cantos do mundo, seja com o rosto coberto no oriente, no amor serrano dos Andes ou no turismo sexual no nordeste brasileiro. Pesquisas mostram que em certos lugares do mundo, as mulheres são tratadas como seres inferiores e não podem exercer profissões ou se sentar em mesas de negociação empresarial ou governamental. Para os povos andinos, o “amor serrano” refere-se a violência física contra a mulher por seus companheiros como se isso fosse normal e cotidiano na vida dos casais. E, no caso brasileiro, tem-se a exploração sexual de nossas mulheres e crianças como apelo turístico para os estrangeiros ou quando são traficadas para outros países e se tornam reféns da prostituição. As mulheres padecem, ainda, da violência do desemprego, dos salários mais baixos nas mesmas funções que homens, da dupla jornada, do assédio sexual e das revistas em locais de trabalho. A lista de atos de violência contra as mulheres é extensa e a cada dia as denúncias aumentam mais conforme as pessoas vão se sentindo fortalecidas e seguras com as políticas públicas e o apoio governamental oferecidos. Salienta-se que as mulheres sofrem violência física, sexual, psicológica, de direito de ir e vir, enfim a violência tem muitas faces. Alguns atos de violência ocorrem no âmbito público outros acontecem no âmbito privado ou doméstico. No caso da chamada “violência doméstica”, os dados são alarmantes e a violência continua matando nossas mulheres, mesmo com a promulgação da Lei Maria da Penha em 2006. Dados fornecidos pela secretaria Nacional de Políticas para Mulheres indicam que o Disque 180 registrou 2,7 milhões de atendimentos de 2006 a 2012. Desse total, 329,5 mil (14%) eram relatos de violência contra a mulher enquadrados na lei. A maioria (60%) foi pedido de informação. No primeiro semestre de 2012, foram registrados 388,9 mil atendimentos, dos quais 56,6% foram relatos de violência física. A violência psicológica aparece em 27,2% das ocorrências no período. Foram 5,7 mil chamadas relacionadas à violência moral (12%), 915 sexual (2%) e 750 patrimonial (1%). Os dados revelam ainda que em 66% dos casos os filhos presenciam as agressões contra as mães. Os companheiros e cônjuges continuam sendo os principais agressores (70% das denúncias neste ano). Se forem considerados outros tipos de relacionamento afetivo (ex-marido, ex-namorado e ex-companheiro), o percentual sobe para 89%. Os parentes, vizinhos, amigos e desconhecidos aparecem como agressores em 11%. A violência reflete a discriminação contra a mulher quando homens se sentem donos de seu corpo e sua alma e se julgam no direito de dispor de suas vidas conforme lhes convém por meio de leis, uso da religião ou força bruta. Mesmo com todas as políticas públicas e ações afirmativas como o Pacto Nacional pelo enfrentamento à violência contra a mulher, lançado pelo Governo Federal para os anos 2006-2011, a realidade mostra um quadro perverso em que as mulheres são espancadas e assassinadas por aqueles que diziam ama-las. No caso da “violência pública”, em que a discriminação e a violência transcendem os portões do doméstico, entram em cena as políticas contra o tráfico de pessoas, leis trabalhistas que punem as diferenças no âmbito do trabalho e incentivo à presença das mulheres na política. Entretanto, mesmo diante de todo esse esforço pelo fim da violência contra à mulher, a ONU considera que a eliminação de todas as formas de discriminação contra a mulher se dará em 2540. Uma data muito longe para quem padece pela discriminação e pela violência hoje em 2012.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Uma reflexão sobre o uso das redes sociais digitais

As redes sociais como uma estrutura que reúne pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações e que partilham valores e objetivos comuns pode ser encontradas em vários episódios na história da humanidade. Com o desenvolvimento tecnológico, a noção de redes sociais se ampliou ao abranger um número de pessoas que vai até onde o interesse ou a conexão chegar, via Internet. Incentivos governamentais também tem possibilitado o acesso às tecnologias de informação e comunicação graças a seus programas de inclusão digital, o que amplia a população usuária da rede de computadores. Isso implica em uma disseminação, cada vez mais ampla e rápida, das informações que circulam na rede, a qual se organizou em vários tipos de redes digitais, as chamadas sociais e as profissionais. As redes sociais são as utilizadas para trocar ideias com amigos, até desconhecidos, montar grupos, discutir temas, entre tantos outros assuntos. É tema livre. Por sua vez, as redes profissionais assumem um caráter mais sério ao congregar pessoas da mesma área de atuação pela troca de ideias sobre temas específicos, currículos, entre outros. No entanto, o que era para ser um benefício pode se tornar um problema caso não seja adequadamente utilizado. O uso das redes sociais digitais pode ser tratado sob três aspectos: o excesso de informação; o uso ético na divulgação de ideias e informações e a manipulação exercida pelos sites de busca. Ao pensar em excesso de informação surgem desafios sobre como separar o excesso de informação inútil do que realmente interessa; como garantir o respeito e a confiança nos integrantes da rede; como ser ético na divulgação de idéias e informações. Visto que a rede social aceita tanto informações de cunho pessoal como discussões com formação de grupos específicos, a rede amplia seu leque de público. Alguns usam a rede como forma de contato pessoal, divulgando notícias de seu dia-a-dia, fotos, correntes etc. Outros fazem uso da rede para divulgar eventos, opinião política, defesa de posicionamentos, entre outros. Essa diversidade de utilização da rede social digital, a torna democrática na medida em que as pessoas podem escolher a forma como pretendem fazer uso dessa poderosa ferramenta. Entretanto, uma das redes sociais, a mais utilizada na atualidade, no formato em que se encontra, parece festa de família quando todos conversam ao mesmo tempo e ninguém ouve. Quando você fala, alguém pode ouvir, vai responder e ficar conversando com voce. Enquanto isso, os outros estão conversando outros assuntos. Mas, se voce falar e ninguém estiver ouvindo, a sua fala fica perdida Na rede em questão, se voce não ficar conectado o tempo todo perde uma série de informações e comentários ou você pode demorar muito tempo para acessar a informação, apesar dela estar registrada na rede. Também, verifica-se que começa a acontecer nesta rede, o mesmo que acontece na outra: as pessoas enviam uma enxurrada de bilhetes, desenhos, frases etc, ao estilo "corrente". O que era prá ser um local de troca de ideias e informações tornou-se uma espécie de corrente virtual. Isso não significa que esse tipo de uso seja bom ou ruim, apenas demonstra o espírito da rede, na qual cada usuário pode escolher seu papel. Na discussão do uso ético na divulgação de ideias e informação a situação se torna complexa pois escondidas atrás do computador, muitas pessoas se sentem a vontade para exprimir preconceitos, racismo, ofensas e todo tipo de exposição de ideias que acreditam, independente se a ideia possa ferir pessoas ou a própria lei. Por exemplo, nas últimas eleições, nas quais se observa um amplo uso da Internet, houve muita desinformação, ofensa, agressão verbal ao invés de aproveitamento do espaço para compartilhar ideias e fortalecer a nossa democracia. No terceiro aspecto, a manipulação realizada pelos sites de busca tem esbarrado na ética pois os usuários desse sites, em sua maioria, não vislumbram que estão sendo direcionados para produtos e serviços a partir de suas informações colocadas em seu perfil ou em mensagens colocadas na rede social. Isso provoca sensação de enganação e indignação. Trata-se da mesma situação quando são recebidas propagandas de produtos e serviços via correio sem terem sido solicitados. Questiona-se como os endereços pessoais foram obtidos pela empresa que envia o material de propaganda. No mundo virtual, não é diferente, ao direcionar a busca por meio de palavras que são digitadas nas redes sociais, as empresas capturam as informações sem a autorização expressa dos usuários das redes. Alguns afirmam que se a informação está colocada na rede pode ser utilizada por qualquer um, inclusive por empresas e suas equipes de marketing. No entanto, o usuário da rede tem o direito de não querer que suas informações sejam manipuladas. Observa-se, também, que as informações solicitadas nos sites de buscas são disponibilizadas de acordo com o perfil do solicitante ou seja, para cada solicitante, o site de busca direciona as informações de acordo com sua base de dados a respeito daquele usuário. Independente dos aspectos colocados, pode-se fazer um grande uso das redes sociais digitais na busca da melhoria da vida das pessoas e do mundo em que vivemos. Tudo depende da forma como usamos esse recurso tecnológico e fantástico de comunicação. O uso da rede digital com respeito e ética possibilita que as pessoas possam realmente compartilhar ideias, valores e objetivos.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

A festa da democracia II

O voto é uma ferramenta poderosa que temos em nossas mãos. Pena que muitos eleitores não fazem uso dela com a seriedade e a responsabilidade que acampanham um voto. Em Maringá, praticamente 60.000 eleitores se eximiram dessa responsabilidade, entre os que não compareceram, os que anularam ou votaram em branco. O direito à liberdade garante essa atitude. No entanto, ainda falta muito para alcançarmos a democracia com responsabilidade, garantindo a participação de todos de forma equilibrada. O que vemos é a mesma coisa de sempre, quando o poder econômico fala mais alto em alguns locais. Não é a toa que no Brasil, a maioria dos deputados e senadores são fazendeiros e empresários, com poucos trabalhadores. Aliás, como um trabalhador de empresa privada terá condições de sair candidato a algum cargo eletivo na atual estrutura? Fará campanha trabalhando e quando sobrar tempo irá procurar eleitores para apresentar suas idéias enquanto o candidato que detem o poder econômico pode sair no momento que quiser. Infelizmente, também ainda temos cidades que parecem aquelas cidades de filme ou novela de cidade pequena em que um coronel (e sua família) mandam na cidade e vão se perpetuando no poder com trocas de favores, coerção e cooptação. Obviamente, muitos preferem se dar bem do que manter sua firmeza de convicções. Acontece em todos os lugares. Mas, o Brasil está mudando e prá melhor. As pessoas tem condições de analisar as propostas dos candidatos e buscar candidatos que sejam sérios. A própria Lei da Ficha Limpa é um marco dessa mudança ao impedir que candidatos condenados participem das eleições como candidatos. Assim, vamos acertando o passo da nossa democracia, até que haja participação equilibrada entre as partes envolvidas: candidatos, eleitos e eleitores.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Advogados divulgam apoio a Enio Verri

Advogados divulgam apoio a Enio Verri Por rigon | outubro 26, 2012 12:33 Em manifesto divulgado hoje, advogados, profissionais e operadores do Direito declaram publicamente seu ao candidato da coligação “Maringá de toda a nossa gente”, Enio Verri. O documento também resgata a imagem do advogado e ex-prefeito José Cláudio Pereira Neto e de sua equipe de governo, “que a campanha do candidato Pupin insiste em vilipendiar”. Na íntegra: “As advogadas e advogados, profissionais e operadores do Direito que assinam o presente manifesto vêm publicamente declarar seu irrestrito apoio à eleição de Enio Verri, porta voz de um Programa de Governo construído com amplos setores da sociedade civil e que coloca a Prefeitura como vetor de promoção de cidadania, de respeito aos direitos humanos e de melhoria das condições de vida da população. O motivo do nosso apoio a Enio Verri não se restringe à sua brilhante trajetória política, profissional e de educador e a sua inequívoca capacidade administrativa. Tornamos expressa nossa opinião também como forma de resgatar a imagem do advogado e ex-prefeito José Cláudio e de sua equipe de governo, que a campanha do candidato Pupin insiste em vilipendiar. Pupin fez uma campanha focada na intolerância, no preconceito e na desunião. Estimulou a divisão entre as pessoas ao balizar as eleições a uma falsa disputa entre o bem e o mal e ao vazio e politicamente incorreto confronto entre cores (azul e vermelho). Ao mesmo tempo em que, na teoria, invoca a “verdade”, “paz” e “união”, Pupin renega o passado e agride a memória do ex-prefeito José Cláudio, eleito em 2000 para reconstruir a cidade devastada pela corrupção e roubalheira praticada por Paolicchi, Jairo Gianoto (PSDB) e seus aliados. Embora do mesmo partido de Gianoto, que recebeu seu apoio naquela eleição, PUPIN insiste em adjetivar a administração do José Cláudio como o “mal” (vermelho) que não pode voltar e pede à população que continue com o “bem” (azul). Pupin esconde da população quem ele apoiava nas eleições de 2000 quando 70% da população de Maringá escolheu José Cláudio e sua equipe para reerguer a estrutura política e administrativa da Prefeitura e recuperar a autoestima da cidade. A sabedoria do povo maringaense via em José Cláudio o protagonismo necessário para moralizar a gestão pública, aviltada nas gestões anteriores e, principalmente, para recuperar os quase R$ 500 milhões desviados da Prefeitura por Paolicchi, Gianoto e seus aliados. Uma fração dessa fortuna desviada retornou aos cofres do Município e o governo sério e austero do José Cláudio recuperou a autoestima e estabeleceu um novo padrão ético de gerir uma cidade. A recuperação do dinheiro roubado e as imagens das colheitadeiras (que o José Cláudio foi buscar na fazenda do Jairo Gianoto no MT e deixou expostas na praça da antiga rodoviária) e do avião do Paolicchi (que a Justiça Federal apreendeu e leiloou) “lavaram a alma” do maringaense. A “paz” e a “união” foram semeadas pelo governo do José Cláudio e os seus frutos são colhidos até hoje. Entre 2001 e 2004, enfrentaram com garra as adversidades, a escassez de recursos federais e estaduais e a crise econômica que o Brasil e o Paraná passavam sob o comando de FHC e Lerner. Quis o destino que José Cláudio nos deixasse prematuramente e que a recuperação do País e a abundância de recursos enviados a Maringá pelos governos Lula e Dilma viessem após a sua gestão. Ao contrário dos dias de hoje, o governo do José Cláudio não hesitou em congelar os salários do prefeito, vice e secretários, e, ao mesmo tempo em que reduziu drasticamente o número de CC’s, realizou uma justa recuperação do poder de compra dos servidores municipais de carreira. Gastou um “tostão” em Propaganda, se comparada aos milhões que são gastos todos os anos desde 2005. Se a dívida repassada por Gianoto representava quase um terço do orçamento anual, José Cláudio e sua equipe, de forma transparente e dialogando com o povo através do orçamento participativo, procurou recuperar a cidade e a autoestima de seu povo. A “verdade” deve ser resgatada. Se a disputa se resume à escolha entre o “bem” e o “mal”, afinal, em que lado estava Pupin quando 70% da população elegeu José Cláudio para suceder o governo corrupto e nefasto de Jairo Gianoto e Paolicchi? Quem, sob a lógica de Pupin, representava o “bem” e o “mal”? Ao limitar a eleição à dicotomia bem/mal e azul/vermelho, Pupin esvazia o debate, estimula a intolerância, renega o passado, falseia a verdade e avilta a memória do “companheiro Zé” e de um governo que ousou ser diferente, que honrou a missão que recebeu e que fincou os sólidos pilares da estrutura política e administrativa que hoje sustenta Maringá. Com este propósito, nós, além de resgatarmos a verdade com relação ao honroso companheiro José Cláudio e seu governo, manifestamos nosso irrestrito apoio à candidatura de Enio Verri para a prefeitura de Maringá. Assinam: Adilson Reina Coutinho Alaercio Cardoso Alison Silva Rosa Anderson Lopes de Faria Arlindo Moreira Barbosa Cristiane Aparecida da Silva de Carvalho Edna Regina Santini Meneghin Eliani Cristina de Andrade Cruzeta Flavio Marcel Batista Gabriela Telles Grazieli Basso Hugo Francisco Gomes Juliana Aparecida Alves Luis Carlos da Fonseca Lucinaldo Veroneze Marcos Roberto Meneghin Marino Gonçalves Mauricio B. Giacomelli Maximiliano Nagl Garcez Nivaldo Possamai Ozorio César Campaner Robson Ferreira da Rocha Rodrigo Silva Bega Rudinei Fracasso Silvio Luiz Januário Valdemar Leite de Morais Vanessa Leal Gonçalves Walter de Toledo Valle Walter de Souza Fernandes”

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

A festa da democracia

Quando eu era criança me lembro da frase “Brasil ame-o ou deixe-o “ , de que existiam apenas dois partidos políticos e que as pessoas tinham medo de expor suas ideias. E, também não podíamos usar camisetas com a bandeira do Brasil. Felizmente, na atualidade podemos expor nossas ideias sem medo. Claro que temos de ter uma dose de paciência pois junto com a liberdade de expressão vem as piadinhas de mau-gosto, desrespeito e ofensas . No entanto, vejo como positivo as pessoas colocarem o que pensam, discordarem e defenderem suas ideias. É muito saudável e nos instiga a argumentar e nos posicionar. Assim, a democracia se torna uma festa, com a alegria do nosso povo, com suas bandeiras, música, bonecos e camisetas de todas as cores. O voto, na democracia, se torna a expressão da vontade do povo, que ao valorizar o voto tem o instrumento para mostrar se descontentamento, confiar em quem vota e votar pelo que cada um acredita que seja melhor. Mas ainda vale, verificar quem é quem na disputa eleitoral, analisar como está a cidade, discutir as propostas. Afinal, vamos aproveitar a festa da democracia para realmente participar da vida política que define como é o nosso dia-a-dia.

domingo, 21 de outubro de 2012

Mulheres com Enio Verri

Agora é hora de devolver a cidade ao povo maringaense.

Para nós da coligação Maringá de toda a nossa gente, é fácil falar no Enio e votar 13. Mas, como maringaense, sei como é complicado as pessoas assumirem a posição de votar no 13 diante da nossa sociedade marcada pelo domínio e assédio dos que se acham donos da cidade. Por isso, parabenizo a coragem das pessoas que assumem o seu voto no 13 e sentem confiança no Enio para governar Maringá. Que beleza é a democracia quando podemos debater propostas e votar no que acreditamos ser melhor para nossa cidade. Agora é hora de devolver a cidade ao povo maringaense. Por isso voto 13, Enio vai governar para todas as cores que significam as pessoas e a vida, a inclusão social, a não discriminação e a Maringá de todos e todas nós.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Eleitor maringaense foi ludibriado

No 1. Turno das eleições vimos os candidatos 25, 40, 33 e 43 criticando o candidato 11. Agora no 2. Turno estão todos juntos aliados com o 11. Os eleitores viram nesses candidatos a oportunidade de dar o “fora Barros” que a maioria da cidade deseja. Muitos alegavam que votariam no 13 no segundo turno mas no primeiro turno iriam votar nos outros candidatos para não dar chance para o 11. No entanto, a estratégia dos mandantes da cidade era clara. Chama “dividir prá conquistar”. E conseguiram, os votos dos insatisfeitos ficaram distribuídos entre os candidatos e o 11 passou para o 2. turno. E, você, eleitor maringaense que depositou sua confiança nas críticas severas que o 40, 0 25, 33 e o 43 fizeram à administração municipal, tem ainda o poder do voto para tirar de vez essa turma que tanto mal faz pra Maringá. A oportunidade se chama Enio Verri e o número é 13. Enio faz parte da coligação Maringá de toda a nossa gente que reúne 8 partidos que pensam um projeto honesto, decente e para Maringá de hoje e do futuro. Enio Verri vai governar para todas as cores, pois as cores representam as pessoas e a vida e significam a inclusão social, a não discriminação e a Maringá de toda a nossa gente. Vamos devolver Maringá para o povo maringaense. Vem com a gente, Vote 13.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Governando para todas as cores: Enio Verri Prefeito 13

Um prefeito deve governar para todas as cores, que representam todas as pessoas que vivem e moram na cidade. Assim, é Enio Verri, um prefeito que vai governar: para o verde das nossas matas, dos nossos bosques, que traz a energia da natureza, o verde da não incineração do lixo, da reciclagem e do desenvolvimento sustentável; para o amarelo, da criatividade, da jovialidade, da alegria e do otimismo, que junto com o branco e o vermelho, está nas cores da bandeira de Maringá; para o marrom, cor da nossa terra, a qual deve ser respeitada com medidas que possibilitem moradias dignas e com ocupação do solo consciente; para o laranja, cor do movimento, da espontaneidade, que indica o otimismo que as pessoas tem de uma vida melhor, com atendimento especializado na saúde, vagas nas creches, trânsito com mobilidade e investimento adequado do dinheiro público. para o vermelho, que é a cor do amor, da paixão, do sangue vivo que corre em nossas veias e que para os chineses atrai sorte e felicidade; para o azul, cor do espírito e do pensamento; para o lilás, cor da espiritualidade, escolhida pelo movimento de mulheres para marcar sua presença em nossa sociedade, na luta pela igualdade; para o branco, cor da calma, da pureza e, principalmente da paz que deve reinar em nossas cidades; para todas as cores e seus tons que fazem parte da vida e das pessoas, que simboliza a inclusão, a não discriminação e a Maringá de toda a nossa gente.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Comitê de Mulheres de Apoio ao Enio Verri Prefeito 13

Hoje a noite (terça-feira), tem lançamento do comitê de mulheres de apoio ao Enio Verri, as 19:30 hs, no Comitê Central. Vamos lá mulheres da Maringá de toda a nossa gente. Precisamos nos unir e mudar a história de Maringá. Não vamos mais permitir que a nossa cidade continue parecendo com aquelas cidades em que os antigos corónéis mandavam e desmandavam, mentindo, comprando votos e passando o poder dentro da família. Quando não tinha mais membros da família apadrinhavam alguém para depois colocar a família de novo. E assim passavam a vida se beneficiando do dinheiro público. Vamos lembrar que em Maringá tem 4.000 crianças sem vagas em creches, que tem mais de 25.000 consultas especializadas na fila de espera, que o preço da nossa passagem de ônibus é o mais caro do Paraná, que o esporte, cultura e lazer na cidade definharam, que a periferia da cidade está abandonada, que fazem pequenas obras na véspera de eleição só pra enganar eleitor....vamos listando e veremos que a cidade precisa sim, de mudança segura, consistente e que respeite as pessoas. Por isso, mulheres apoiam e votam Enio Verri 13.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Por que Enio Verri 13

Amigos e amigas do blog e da vida, gostaria de sua licença e sua atenção para falar dessas eleições municipais. Perguntam sempre porque sou e acredito13. Sei que o 13 tem propostas sérias e viáveis pois foram elaboradas por pessoas que participam de várias áreas (saúde, educação, esporte, mulheres, juventude entre tantas) a partir de um diagnóstico que levantou os problemas da cidade. A candidatura do 13, Enio Verri, foi resultado de uma coligação de 8 partidos que acreditam que Maringá precisa de propostas sérias que melhorem a vida da população e escolheram o Enio para ser o prefeito para cuidar desse projeto. Se voce observar nossa cidade vai verificar que saindo do centro e das vias principais, voce encontra buracos e lixo e nada de asfalto "lisinho" que falaram, encontra 4.000 crianças sem vaga nas creches, milhares na fila de espera na saúde, parques que foram pintados só para a propaganda eleitoral, sem investimento na cultura e lazer e assim por diante. Então, vale a pena confirmar o voto: Enio Verri 13 Prefeito. Para auxiliar o Enio na Câmara, voto Clarice 13700.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Gleisi Hoffmann em maringá

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, estará em Maringá no sábado para participar de um grande Ato Político da nossa campanha. Todos que querem uma Maringá de Toda a Nossa Gente estão convidados para o evento. Participe! Convide os amigos e familiares! Enio Verri 13 e Clarice Gravena 13700

terça-feira, 25 de setembro de 2012

AGENDA DA SEMANA

dia 27/09 - Festival Internacional de Corais - nosso coral - Vozes Femininas do CCH da UEM irá se apresentar. No Kalil Hadad, 19h30 dia 28/09 - VIII Seminário de Mulheres Negras - das 7h30 as 17 hs no Auditório Hélio Moreira, na Prefeitura.

domingo, 2 de setembro de 2012

Querem acabar com a Casa Abrigo das Mulheres?

Quem acabar com a Casa Abrigo das Mulheres? No início dos anos 1990, o vereador cabo Zé Maria, então vereador pelo Partido dos Trabalhadores (PT), em conjunto com o Setorial de Mulheres do PT de Maringá elaborou o primeiro projeto da Casa Abrigo, o qual foi aprovado pela Câmara dos Vereadores. A sua viabilidade, no entanto, tornou-se possível, muitos anos depois. Não podemos deixar de registrar na história o esforço da Maria Conceição Franco (Assessora da Mulher na Gestão 2001-2004) e da Terezinha Pereira (Secretaria da Mulher na Gestão 2004-2011) e suas equipes na elaboração e na consolidação do projeto da Casa Abrigo, a qual recebeu recursos do Governo Federal, via Secretaria Especial de Política para Mulheres, para aquisição de mobiliário, equipamentos e veículo. Junto com a Casa Abrigo, o Governo Federal incentiva e envia recursos para os Centros de Referência às Mulheres Vítimas de Violência (CRAM) como forma de criar uma infraestrutura de apoio às mulheres. Em Maringá, temos a Casa Abrigo e o Centro de Referência. A Casa Abrigo Edna Rodrigues de Souza funciona desde 2006. O nome da Casa é uma homenagem a enfermeira Edna do Hospital Santa Rita que foi morta a facadas por seu companheiro enquanto saía do trabalho. Na Casa Abrigo as mulheres são assistidas por uma equipe multidisciplinar, que conta com assistentes sociais, psicólogos e assessores jurídicos. O tempo de permanência no local é indeterminado, com as mulheres podendo ficar no abrigo até que haja condições de segurança para retornar às suas casas – segurança que pode vir de uma notificação judicial ou prisão do potencial agressor. A administração da Casa é realizada pela Secretaria da Mulher e o local é mantido em sigilo. A Secretaria da Mulher, é, também, responsável pelo CRAM Maria Mariá que tem como incumbência assistir e encaminhar as mulheres vítimas de violência. A Casa Abrigo e o CRAM significam muito mais do que um espaço físico de atendimento às mulheres. Eles são resultado de uma política pública para mulheres que retira a violência contra a mulher do espaço privado e a coloca como responsabilidade do setor público, possibilitando o acompanhamento e o resgate da qualidade de vida das mulheres. Infelizmente, fomos surpreendidos pelo mesmo Governo que criou a Casa Abrigo, por seu desmonte, ignorando as verbas públicas ali investidas e, pior que tudo, ignorando as vidas que podem ser salvas ao acolher as mulheres que estão em risco de morte. Não entender o que é a Casa Abrigo e sua necessidade de proteção à vida, faz com que a Sasc (Secretaria de Assistência Social e Cidadania) tome a Casa Abrigo das Mulheres. No mês de março do corrente ano, houve uma reunião em que o Conselho da Mulher participou e foi totalmente contra passar a Casa para a Sasc. Na época, o prefeito assumiu o compromisso de acatar a posição do Conselho da Mulher, inclusive, ele afirmou repetidas vezes, que ninguém queria tomar a Casa Abrigo, apenas mudaria para um local menor, quando fosse viável a troca com outro imóvel. E, agora o fato se repete. A alegação por parte da prefeitura, da Sasc e conselhos vinculados é de que a Casa Abrigo, que foi montada com verbas do Governo Federal, está subutilizada pois atende poucas mulheres. Segundo eles, deve ser utilizada para outros fins. A Casa Abrigo é um local no qual as mulheres e seus filhos são colocados nos casos em que se avalia risco de morte. O Conselho da Mulher de Maringá fez uma proposta de ampliar a Casa Abrigo para a região de Maringá, visto que as mulheres das cidades ao redor são desprotegidas. Os elevados índices de registros de violência contra à mulher e o número de assassinatos das mulheres justifica a existência de uma Casa Abrigo regional, mesmo porque, voltamos a frisar, temos recursos federais ali investidos. O nosso sonho era que não precisássemos de Casa Abrigo pois significaria que não teríamos mulheres ameaçadas de morte, mas, a realidade é outra, nossas mulheres continuam sendo ameaçadas de morte e assassinadas. A sociedade e o poder público tem obrigação de dar conta dessa situação. O nosso sonho é que mulheres como a Edna, que empresta seu nome à Casa Abrigo de Maringá, não fossem brutalmente assassinadas por aqueles que fizeram parte de suas vidas. O nosso sonho é que a violência contra a mulher deixasse de existir e as mulheres pudessem usufruir de suas vidas com dignidade e sem medo. * Tania Tait, Professora do Departamento de Informática da UEM, Coordenadora da ONG Maria do Ingá – Direitos das Mulheres e Presidente do Conselho da Mulher Gestão 2004-2006.

sábado, 1 de setembro de 2012

Homenagem aos Presidentes do Sinteemar

O Sinteemar - Sindicato dos Trabalhadores de Ensimno de Maringá, reúne trabalhadores das escolas particulares e da UEM. Tive a honra de ser vice-presidente na Gestão 1989-1992 como vice presidente, tendo como presidente o prof. Sidnei Munhoz. O Sinteemar inaugurou uma galeria com os presidentes. Emocionante lembrar da história desde os anos 1980 quando comecei a participar. Lutamos pela gratuidade de ensino, pela eleição direta pra Reitor, pela igualdade, pela carreira técnica e docente, entre tantas outras lutas, além de participar das lutas pela consolidação da democracia no país. Enfim, participar dessa história nos mostra quão importante é a colaboração de cada um e cada uma de nós. Mais fotos no site do Sinteemar -
href="http://www.sinteemar.com.br">

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Enio Verri 13

Voto Enio Verri 13, por vários motivos. Mas, gostaria de destacar dois motivos. Primeiro: o Enio está preparado para administrar Maringá, sua trajetória o capacita para tal missão. Segundo: tive a oportunidade de trabalhar com o Enio na Gestão do Prefeito José Claudio e nos chamava a atençao o respeito que ele tem com o dinheiro público, sempre atento com a sua aplicação e os resultados para a população. Não tenho dúvida do meu voto: Enio Verri 13.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

E a democracia?

Vamos refletir, se há democracia porque a maioria dos nossos representantes são fazendeiros e empresários? Onde estão nossos representantes trabalhadores? Pesquisa aponta que o congresso tem, em sua maioria, empresários e fazendeiros e uma minoria de trabalhadores e dentre esses, a maioria são servidores públicos.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Mulheres e eleições 2012

"Quando uma mulher entra na política, muda a mulher. Quando muitas mulheres entram na política, muda a política." Esta é uma fase famosa atribuida a Presidenta do Chile, Michele. Claro que não é qualquer mulher que vai mudar a política. Historicamente, o Brasil é marcado por mulheres que herdam a política de familiares, pais ou maridos. À exceção fica por conta das mulheres que atuam em movimentos sociais, as quais constrõem suas candidaturas em cima de trabalho de muitos anos desenvolvido em suas comunidades ou nos movimentos que atuam. Essa constução faz com que essas mulheres desempenhem suas atividades na política com coerência e força. No entanto, infelizmente, o Brasil continua tendo muito pouca presença feminina na política, somos apenas 8,8%. A nossa esperança é que com a eleição da Presidente Dilma esse quadro mude com o aumento de mulheres nos cargos políticos. O país ganhou muito com a implementação de políticas públicas para mulheres e o fortalecimento da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres, criada em 2003 pelo Presidente Lula. Não podemos retroceder! Somos a maioria da população, já temos mais anos de estudo do que os homens, chefiamos as famílias e estamos no mercado de trabalho. Ainda temos muito a conquistar como a criação de infra-estrutura para a mulher trabalhadora (escolas em tempo integral, lavanderias, condições de trabalho etc), o fim da violência e da discriminação contra a mulher, entre outros. Temos, portanto, responsabilidade nas eleições. Vamos votar em homens e mulheres que sejam comprometidos com as políticas públicas para as mulheres, a começar pela defesa da Secretaria Municipal da Mulher e pelo respeito ao Conselho da Mulher e as entidades que ali estão representadas. Se optar por votar em mulheres, analisem seu histórico de lutas e contribuição para as políticas para as mulheres e para as chamadas "minorias" em nossa sociedade. Se optar por votar em homens, que considerem mais aptos aos cargos pleiteados, verifiquem seu comprometimento com as lutas das mulheres e o compromisso com as políticas públicas para as mulheres. O que não podemos mais é votar pela omissão!

terça-feira, 17 de julho de 2012

Redes sociais e blogs

Tempos atrás eu soube de blogueiros que desistiram de seus blogs por considerar que as pessoas se interessam mais pelas redes sociais com textos mais curtos e a atualização rápida de mensagens, Aí, fiquei pensando que uma das redes que participo (a mais famosa atualmente) parece mais reunião de família de italianos: nós conversamos todos ao mesmo tempo. E, como diz meu genro: voce fala, alguém pode te ouvir, vai te responder e ficar conversando com voce. Enquanto isso, os outros estão conversando outros assuntos. Mas, se voce falar e ninguém estiver te ouvindo, a sua fala fica perdida. Na rede em questão, se voce não fica conectado o tempo todo perde uma série de informações e comentários. Também, verifiquei que começa a acontecer nessa rede, o mesmo que acontece na outra: as pessoas enviam uma enxurrada de bilhetes, desenhos, frases etc, ao estilo "corrente". Vejo que o que era prá ser um local de troca de idéias, se tornou uma espécie de corrente virtual. Talvez eu seja muito chata por pensar que a rede social deveria ser algo mais informativo e instrutivo. Talvez a rede social tenha sido criada prá isso mesmo. Talvez eu tenha uma visão muito utilitária da rede social com postagem de mensagens sobre eventos, cursos e eleições. Então, por ora, continuo com o blog para compartilhar idéias...

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Acordo Judicial - Desculpas

Por acordo judicial entre as partes envolvidas, publicamos o pedido de desculpas abaixo: "No ano de 2010, a autora do referido blog veiculou texto, assinado por terceira pessoa, sob o título “Sarandi pode ter sua Mércia Nakashima”. O texto foi retirado posteriormente, no mesmo ano, em comum acordo entre os advogados Claudinei Codonho e Jacheline Batista Pereira. Em nenhum momento tive interesse em desqualificar a imagem do Sr. Claudinei Codonho até porque seu nome não foi citado no referido texto. Inclusive, na época foi oferecido espaço para o Sr. Claudinei Codonho colocar sua versão dos fatos. Posteriormente, os fatos mostraram que o Sr. Codonho não tinha relação com o episódio. Entretanto, a autora do blog, apesar de nunca ter tido o intento de ofender o Sr. Claudinei Codonho, dirige-se ao mesmo com pedido de desculpas por terem relacionado seu nome ao texto postado naquela época."

quarta-feira, 4 de julho de 2012

sexta-feira, 22 de junho de 2012

O silêncio da sociedade sobre a violência contra a mulher

Notícias assustadoras chegam pela imprensa a todo momento: meninas violentadas, mulheres espancadas e assassinadas. Dados da Secretaria Municipal da Mulher apontam um crescimento do número de atendimentos realizados nos casos de mulheres vítimas de violência. Para se ter um idéia da gravidade da situação, em 2005 foram realizados 96 atendimentos em casos de violência, em 2011 foram 1373 atendimentos. Do ano de 2007 prá 2011, os atendimentos sempre foram em torno de 1500, chegando a 1673 em 2007. Pelos dados fornecidos tem-se um total de 8198 atendimentos de 2005 a 2011. Dois fatores são discutidos a partir desses dados: o oferecimento do serviço que estimula a procura por parte da vítima e o aumento progressivo da violência contra a mulher. A violência está presente de maneira silenciosa nos lares e nas ruas, no entanto as mulheres com o oferecimento de serviço de apoio por parte do poder público se sentem mais fortalecidas para buscar ajuda. A própria existência em nível nacional da Secretaria de Políticas para Mulheres e os programas de apoio à mulheres vítimas de violência deveria contribuir para redução dos índices de violência. Sabemos que vivemos em uma cultura reconhecidamente machista na qual muitos homens se sentem donos do corpo e da alma da mulher. Isso leva a diversos comportamentos na sociedade desde o comportamento repressivo no âmbito privado, nos lares até comportamento de negligenciar e ignorar a violência no âmbito da sociedade. Mulheres negras, homossexuais, idosas e portadoras de necessidades especiais, cada qual com suas características e necessidades compõem o quadro de mulheres vitimadas cuja violência é traduzida em falta de atendimento adequado na rede de saúde, desrespeito, desatenção, privação de acesso ao trabalho, aos estudos e a liberdade , agressão física e sexual. A Lei Maria da Penha que em sua promulgação em 2006 deixou as mulheres com esperanças de que o quadro mudasse, trouxe novos impasses à sociedade que nào foram ainda resolvidos. Infelizmente, o despreparo de profissionais das áreas de saúde, polícia, judiciário, entre outros envolvidos com casos de violência contra a mulher continua latente, a despeito do reconhecimento da necessidade de varas judiciais especiais e de qualificação dos envolvidos no trato com a situação. Um outro elemento relevante ao se tratar a violência contra a mulher merece destaque: a sociedade de modo geral não enxerga o assassino de mulher como um criminoso, mas alguém que por descontrole emocional e paixão cometeu um crime. Ora, se cometeu um crime, existe lei para punir e a pessoa deve ser julgada por tal. E essa é uma luta que vem desde os anos 1960 quando as mulheres começaram a exigir pena máxima aos assassinos de mulheres tendo em vista que a impunidade contribui para gerar mais violência. Não podemos ignorar a violência contra a mulher e nem confina-la aos lares, pois a sociedade e o poder público tem toda a responsabilidade para garantir a vida e a cidadania das mulheres. Chega de violência contra nossas mulheres e meninas. Quem ama, não mata. Cuida! O texto é assinado por: Jacira Paranhos – Presidente do Conselho Municipal da Mulher de Maringá; Eva Coelho – Instituto de Mulheres Negras; Valquiria Francisco – Ong Maria do Ingá – Direitos da Mulher e Tania Tait – representante da UEM no Conselho da Mulher.

terça-feira, 22 de maio de 2012

VI Encontro dos Corais do Departamento de Música da UEM

É preciso cantar! Dias 04 e 05 de Junho, as 20:30 hs. Local: teatro Oficina - UEM Entrada Franca.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

V Ciclo de Palestras Empreendedoras

Nos dias 28, 29 e 30 de maio o PET-Informática irá realizar a V edição do Ciclo de Palestras Empreendedoras. Ao longos desses anos, o CIPEM tem se tornado uma das principais atividades do PET-Informática. Temos tido sempre, em todas as edições, uma grande participação dos alunos e professores de diversos cursos da UEM, principalmente. As informações sobre o evento estão disponíveis em: http://www.din.uem.br/cipem

sábado, 12 de maio de 2012

Feliz Dia das Mães!!!

Desejo a todas as mães muita luz, muitas alegrias e muito sucesso em tudo que fizerem. As palavras mãe e amor parecem que foram criadas em conjunto. E, as mães sabem muito bem seu significado.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Primeiro de Maio: Dia do (a) Trabalhador (a)

Além de ser um feriado bom prá se aproveitar, temos de lembrar nesse dia as conquistas e as lutas da classe trabalhadora. A Romaria do Trabalhador é um grande momento para refletirmos e nos fortalecermos. A Paróquia Santa Isabel de Portugal será a sede da 23ª Romaria do Trabalhador da Arquidiocese de Maringá. A Romaria terá como tema: “Saúde + Trabalho = Vida Plena”, e lema: “Esperança de novos céus e nova terra”, com base na proposta da Campanha da Fraternidade 2012. Horários 13:30 - início da Romaria 16:00 - Missa no HU.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Chamada de Trabalhos para o V Workshop de Gerenciamento de Projetos de Software

O V WGPS – Workshop de Gerenciamento de Projetos de Software será em Fortaleza, em junho. O evento faz parte do Simpósio Brasileiro de Qualidade de Software (SBQS). O SBQS é um evento anual da Comissão Especial de Engenharia de Software da Sociedade Brasileira de Computação (SBC) e do Comitê do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade em Software (PBQP-SW) . O evento tem como objetivo reunir pesquisadores, profissionais, empresários, professores e estudantes de diversas áreas, interessados em questões relativas à qualidade de software. O Simpósio também favorece o intercâmbio de informações entre pesquisadores nacionais e estrangeiros de renome, e entre indústria e usuários, sobre o estado atual e tendências, em termos de métodos, técnicas, ferramentas de software e experiências práticas da área de Qualidade de Software.
O V Workshop de Gerenciamento de Projetos de Software ocorrerá no escopo das atividades do Simpósio Brasileiro de Qualidade de Software (SBQS 2012) e será, a exemplo dos anos anteriores, um fórum dedicado à apresentação dos resultados obtidos com a aplicação do Gerenciamento de Projetos no contexto de Tecnologia da Informação. O objetivo deste workshop é compartilhar conhecimento de técnicas, ferramentas, métodos e relatos de experiências de Gerenciamento de Projetos no segmento de Tecnologia da Informação, mostrando os resultados obtidos e as lições aprendidas. Pretende-se ainda estimular a integração e a cooperação de pesquisadores nesta área, com empresas e entidades que apóiam, oferecem serviços, ferramentas ou utilizam conceitos de Gerenciamento de Projetos nas suas organizações.
• Datas Importantes
- Prazo de submissão de artigos: 26/04/2012
- Notificação aos autores: 26/05/2012
- Entrega da versão final (camera-ready): 31/05/2012

• Tópicos de Interesse
Os temas de interesse do WGPS 2010 incluem relatos de experiências que revelem exemplos da aplicação de boas práticas de Gerenciamento de Projetos na área de Tecnologia da Informação, mais especificamente em software, sem, no entanto, se limitar a eles:

- Casos de Projetos bem sucedidos
- Lições Aprendidas em Projetos mal sucedidos
- Gerenciamento Ágil de Projetos
- Ferramentas de Gerenciamento de Projeto
- Análise de Viabilidade de Projetos
- Gerenciamento de Projetos no Contexto do CMMI e MPS-BR
- Garantia da Qualidade em Software
- Gerenciamento de Desenvolvimento de Produtos em Software
- Métricas de Software
- Gerenciamento de Riscos
- Comunicação em Projetos
- Corrente Crítica - Gestão de Mudanças em Projetos de Software
- Gerência de Portfolio de Projetos
• Submissão dos Trabalhos
Todos os trabalhos submetidos serão avaliados pelos membros do Comitê de Programa, formado por especialistas na área de Gerenciamento de Projetos. Os artigos devem obrigatoriamente atender aos seguintes critérios, todos eliminatórios:
-Seguir rigorosamente as instruções de formatação
-Não possuir qualquer tipo de Marketing de fornecedores ou produtos
-Apresentar resultados práticos
-Possuir relevância para a comunidade de Gerenciamento de Projetos, especialmente na área de Tecnologia da Informação
-Possuir atratividade para o público presente no WGPS.
Os trabalhos selecionados deverão ser apresentados pelos autores durante o Workshop e serão publicados nos anais do evento. A submissão ao V WGPS deve ser feita através de um relato de experiência descrevendo e analisando a aplicação de processos, métodos ou ferramentas de gerenciamento de projetos, contextualizando a experiência e mostrando os resultados obtidos e lições aprendidas, em um caso prático, com contribuição para a indústria de software. Os trabalhos devem ser submetidos diretamente de forma eletrônica pelo sistema JEMS, utilizando a seguinte página: https://submissoes.sbc.org.br/sbqs2012.
Com relação ao formato, pede-se observar os requisitos a seguir, que são todos obrigatórios. O relato de experiência deve:- ser escrito em português ou inglês- ter entre 4 e 6 páginas, incluindo todas as figuras, referências e apêndices- seguir o formato definido pela SBC (Sociedade Brasileira de Computação), disponível em http://www.sbc.org.br, indo até a aba “Eventos”, janela “Arquivos” (à esquerda), item “Modelo para publicação de artigos” - ser enviado no formato Adobe Portable Document Format (PDF).
• Comitê Coordenação Geral
- Dra. Tania Tait (UEM) tait@din.uem.br
- Dr. Marcello Thiry (UNIVALI) marcello.thiry@gmail.com

quinta-feira, 15 de março de 2012

Em Jardim Alegre na 6. Homenagem às Mulheres

Representando o Deputado Enio Verri e falando sobre a luta e os desafios das mulheres.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Querem homenagear as mulheres?

Respeitem seus direitos!
Paguem as mulheres os mesmos salários que pagam aos homens no exercício da mesma função!
Deem condições dignas de trabalho!
Não usem frases desabonadoras e repressoras ao se dirigirem a elas!
Tratem-nas com igualdade quando forem candidatas!
Tratem-nas com igualdade!
Respeitem seu direito de buscar a felicidade!
Compartilhem as tarefas domésticas com suas mulheres!
Compartilhem a educação dos filhos!
Não as espanquem!
Não as matem!
Ame-as!
Tratem todos os dias como se fossem o Dia Internacional da Mulher!

Visão equivocada do feminismo...

Observando o que acontece ao nosso redor, percebe-se que as mulheres de todas as idades atingiram um patamar cada vez mais crescente na busca pela igualdade . Conquistas em vários setores nos quais a presença feminina aparece cada vez mais colocam em xeque a famosa frase “lugar de mulher é na cozinha”.
Contraditoriamente, muitos problemas (graves) ainda persistem, tais como: a violência contra a mulher, salários menores para as mulheres no exercício da mesma função que homens, falta de infra-estrutura para a mulher trabalhadora, a falta de compartilhamento das atividades domésticas, a ausência de mulheres na política, entre outros. No entanto, nossas conquistas são consolidadas a cada momento, inclusive elegemos a primeira mulher Presidente do Brasil.
Por outro lado, percebe-se, também, um equivoco na igualdade que tanto almejamos. Não queremos ser como alguns homens, não queremos ser grosseiras, “encher a cara” de bebida, ser trogloditas na vida pública e na vida privada, não queremos ser homens na política. Infelizmente, temos visto esse tipo de comportamento, principalmente nas novas gerações.
Quando falamos em igualdade e liberdade, estamos defendendo o direito às escolhas que nos tornem seres humanos plenos e felizes. Não queremos seguir o comportamento violento de muitos homens que, durante séculos, oprimiram as mulheres. Não nos interessa seguir o protótipo masculino do “homem macho”.
Queremos sim “ser sujeitos e não objetos na vida e na história” como preconiza a Declaração Universal dos Direitos da Mulheres.
Parabéns a todas as mulheres e homens que compartilham conosco o Dia Internacional da Mulher!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Abertura de inscrições: Especialização em Gerenciamento de Projetos de Software

Curso de Especialização em Gerenciamento de Projetos de Software (UEM)

O Departamento de Informática (DIN) da Universidade Estadual de Maringá (UEM) oferece o Curso de Especialização em Gerenciamento de Projetos de Software. As inscrições podem ser feitas no período de 06 de fevereiro até 02 de março na Secretaria do DIN, Bloco C-56, sala 107.

A seguir algumas informações importantes deste Curso:

Objetivo

Curso presencial que tem por objetivo a qualificação profissional e especializada em gerência de projetos de software, formando profissionais capacitados a atender as necessidades do mercado, visando seu aprimoramento para a utilização de boas práticas e promoção de ganhos de produtividade e qualidade.



Público-alvo

Egressos de cursos da área de Administração, Gestão de Negócios e de Tecnologia da Informação (TI), tais como Administração, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Informática, Sistemas de Informação e Sistemas para Internet.


Disciplinas e carga-horária

Introdução ao Gerenciamento de Projetos de Software – 35 h/a
Gerenciamento de Projetos de Software – 35 h/a
Visão Organizacional do Gerenciamento de Projetos de Software – 20 h/a
Gestão de Pessoas em Projetos de Software – 20 h/a
Sistemas de Informação Executiva – 25 h/a
Data Warehouse na Tomada de Decisão – 30 h/a
Fundamentos de Pesquisa – 30 h/a
Gestão da Qualidade de Software – 30 h/a
Métodos Ágeis – 30 h/a
Gerenciamento de Projetos de Software Livre – 25 h/a
Segurança da Informação – 30 h/a
Tópicos Avançados em Gerenciamento de Projetos de Software – 40 h/a
Contrato de Software – 10 h/a


Corpo Docente

Álvaro José Periotto, Dr.
Dante Alves Medeiros Filho, Dr.
Donizete Carlos Bruzarosco, Dr.
Edson Yanaga, Msc.
Elisa Hatsue Moriya Huzita, Dra.
Igor Fabio Steinmacher, Msc.
Luciana A. F. Martimiano, Dra.
Maria Madalena Dias, Dra.
Patrícia Oliveira Areas, Dra.
Renato Balancieri, Dr.
Tânia Fátima Calvi Tait, Dra.


Datas Importantes

Inscrições: 06/02/2012 a 02/03/2012
Período de seleção: 05 a 07/03/2012
Resultado da seleção: 08 e 09/03/2012
Período da matrícula: 12 a 17/03/2012
Início do curso: 24/03/2012


Local e horário de funcionamento

Local: Universidade Estadual de Maringá

Departamento de Informática

Av. Colombo, 5790 – Bloco C56 – Maringá – PR – CEP: 87020-900

Tel.: (44) 3011-4324 / 3011-4219 - E-mail: espgps@uem.br

Horário: Aulas aos sábados, das 8:00 às 12:20 horas e das 13:30 às 18:00 horas



Investimento

Taxa de matrícula: R$ 400,00

Mensalidades: 22 parcelas de R$ 420,00 a serem pagas durante a realização do curso (vencimento a partir de 10/04/2012). Para pagamento até a data de vencimento o valor das mensalidades será de R$ 400,00 fixas até o final do curso.


Coordenação e contato

Profa. Dra. Tânia Fátima Calvi Tait – E-mail: tait@din.uem.br
Profa. Dra. Elisa Hatsue Moriya Huzita – E-mail: emhuzita@din.uem.br
Prof. Dr. Renato Balancieri – E-mail: renato@din.uem.br

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Atendimento online? Atendimento pelo 0800?

Todos os que precisaram de atendimento on line ou pelo 0800 passaram po situações, no mínimo, que exigiram um dose imensa de paciência. Parece que estão brincando conosco. Hoje, eu imaginei que fosse piada quando me atenderam em uma operadora de celular. O primeiro atendente estava com voz mole e parecia que estava acordando naquele instante e a segunda atendeu dando uma gargalhada que devia ser resultado de conversa com os colegas. E, finalmente, prá variar, não resolveram nada. Sabe o que estou cop vontade de fazer: escrever e enviar pelo correio, quem sabe a informação chegue ao seu destino.
Isso em "Tempos da Internet" e da economia de papel e de tempo, é absurdo!!!

Convite: Festa de 32 anos do PT

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Férias em Prudentópolis - cachoeiras...


Bem aqui perto, no centro do Paraná, temos as cachoerias gigantes ao redor da cidade de Prudentópolis. Vale a pensa sentir o frescor das águas e admirar a beleza de suas quedas. Os mais aventureiros podem fazer rapel, entre outros esportes "próprios das cachoeiras". Os mais observadores podem seguir uma ou várias borboletas azuis. É um passeio que vale a pena!