Para compartilhar idéias!



quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

O uso das ferramentas de Redes Sociais

Elaborei o texto abaixo para colaborar com alunos do curso de Jornalismo. O texto trata, também, do uso das redes sociais por empresas do comércio varejista.

O conceito de Rede Social, a partir da Wikipédia (www.wikipedia.com.br), indica que se trata de “uma das formas de representação dos relacionamentos afetivos ou profissionais dos seres humanos entre si ou entre seus agrupamentos de interesses mútuos.” Isso significa que redes sociais existem na sociedade desde tempos remotos. Com a disseminação da Internet, o conceito de rede social passa a incluir o “relacionamento digital”, ou seja, um relacionamento no qual as pessoas estão fisicamente dispersas e se comunicam por meio de tecnologia da informação, no caso, a rede mundial de computadores, a Internet.
A Internet, presente em nossas vidas, desde meados dos anos 1990 contribui para a disseminação da informação em várias áreas: lazer, negócios, pesquisas, relacionamentos de amizade e amorosos.
Na área de negócios, as organizações procuram expandir seus negócios a partir do comércio eletrônico alcançando novos públicos.
Com o advento das redes sociais, novas formas de negócios surgem tais como a divulgação de produtos e o contato com os clientes via as ferramentas de redes sociais na Internet. As redes são vistas como canais para realizar pesquisa de mercado, de público-alvo e lançamento de novos produtos.
Entretanto, segundo uma pesquisa realizada pela Associação Comercial de São Paulo com 500 empresas da cidade de São Paulo de micro a grande porte de vários setores, 83% das empresas não possuem cadastro em redes sociais. As instituições financeiras são as que mais utilizam as redes sociais (26%) e o comércio varejista é o setor que menos as utiliza (representa 12%). As redes sociais mais utilizadas pelas empresas são: Orkut, Twitter e Facebook. Mais detalhes da pesquisa são encontrados em http://www.agenciasebrae.com.br)
Apesar do segmento de pequenas empresas ser o que menos utiliza as redes sociais, de acordo com a pesquisa, os empreendedores já conhecem e valorizam o potencial do uso da Internet.
Dentro desse universo, o qual chamamos sociedade da informação, as empresas de qualquer porte não podem ignorar as potencialidades a partir das redes sociais. Principalmente, as pequenas empresas, tradicionalmente castigadas por dificuldades em aquisição de tecnologia da informação, tem agora a possibilidade de divulgar seus produtos e se relacionar com seus clientes de uma maneira rápida e sem alto custo. Nesse setor, as empresas do comércio varejista podem usufruir das facilidades tecnológicas para divulgar seus produtos, se relacionar com seus clientes e expandir sua área de abrangência.
Um outro papel que ganha espaço nas redes sociais é a educação e mobilização de consumidores em todo o mundo, pois a Internet torna-se um canal de recebimento de reclamações e queixas contra produtos e empresas. Algumas iniciativas na Internet discutem, inclusive, o consumo consciente e sustentável, contribuindo para a melhoria de qualidade de vida e cuidando do meio ambiente.
Percebe-se que a Internet ampliou o uso e a disseminação da informação em todas as áreas e que, com as ferramentas de redes sociais, um público cada vez maior se encontra na rede. Esse público se torna, assim, cada vez mais exigente e fortalecido pelo alcance das informações ali colocadas.
Mas, não se pode esquecer dos problemas que ainda existem a partir do uso da Internet tais como: a exclusão digital que alija milhões de pessoas do acesso à tecnologias da informação; o uso da rede para fins ilícitos, roubos, difamação, discriminação, pedofilia etc; o vício eletrônico e o isolamento social.
Mesmo diante dos problemas apresentados, saber usar de forma adequada as ferramentas das redes sociais torna-se, assim, um desafio e uma oportunidade para as pequenas empresas, as quais podem expandir seus negócios.
As ferramentas de redes sociais disponíveis na Internet são pautadas por facilidade de acesso e gratuidade, o que possibilita que as pessoas e as organizações se conectem para estreitar laços e criar vínculos em interesses comuns, criando, assim, novas formas de relacionamento desde amizade até negócios.

Sugestão de leitura:
Recuero, Raquel. Redes Sociais na Internet. Ed. Sulina, Porto Alegre: 2009.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Cenas do Parque III...

Continuo caminhando no Parque Alfredo Nyffler. Já escrevi sobre as cenas que vejo no parque, tanto as bonitas como as ruins. As cenas bonitas continuam enchendo nossos olhos e corações de alegria, mas infelizmente as cenas ruins permanecem por lá. Segundo os comentários dos moradores, durante a noite o local é palco de todo tipo de coisa: drogas, baderna, sujeira (fazem as necessidades básicas), etc etc...Além do que falta iluminação no local e o número de vigias é pouco para dar segurança aos moradores da redondeza e aos frequentadores do local. Ah! o portão não tem tranca e tem partes da grade que foram retiradas. É uma pena, que um local de lazer, incluído como ponto turístico da cidade esteja sendo deixado ao acaso. E, vamos lembrar que o parque não é de graça, afinal de contas a população paga impostos. Portanto, o parque deve ser cuidado para beneficiar as pessoas.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Em Aparecida...

Fomos à Aparecida no final de semana. Incrível ver a manifestação de fé das pessoas. Pessoas vindas de todos os cantos, algumas subindo e descendo de joelhos a passarela que liga as duas Igrejas como forma de agradecer alguma graça alcançada ou pedir algo.
Chama a atenção, também, a quantidade de barracas e os diversos produtos à venda, desde roupas até lembranças religiosas.
Em todas as missas, além dos pedidos e agradecimentos pessoais, foram feitos pedidos pelas famílias vitimadas pelas enchentes.
A palavra para nossa ida à Aparecida é agradecimento. Aproveitamos pra pedir bençãos para as pessoas que precisam de apoio.
Certamente, os corações das pessoas ficam repletos de esperança e alegria por estar ali.
Assim, é com todos. Assim, foi conosco também.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Sobre Comer, Rezar, Amar

Conclui a leitura do livro "Comer, Rezar, Amar"*. A história é contada em 3 partes. A primeira parte se passa na Itália, com valorização do comer pelo prazer de comer. Aliás, nunca me senti tao ítalo-brasileira lendo essa parte, principalmente pela familiaridade do que era novidade para a autora norte-americana. A segunda parte, Rezar, é na Índia, com mantras, meditações e sliêncios. A terceria, na Indonésia, onde a autora conhece um brasileiro e se apaixona. Apesar da autora ter dividido esse período de sua vida em três parte distintas, eu não consigo enxergar assim. Parece que, na realidade, tudo pode ser misturado e vivido ao mesmo tempo. E qualquer época voce pode se apaixonar, rezar e comer. Afinal, quando alguém sabe o momento em que vai se apaixonar...? Agora, tem um trecho na página 268 que fala sobre a felicidade e sua manutenção que nos leva a refletir sobre nossos pequenos grandes momentos e nossos grandes pequenos momentos. Enfim, foi uma leitura prazeirosa. A autora tem senso de humor, mesmo em suas tragédias.
* Gilbert, Elizabeth. Comer, Rezar, Amar. Tradução: Fernanda Abreu. Rio de Janeiro: 2008.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Rose Zanardo...uma estrela que sobe...

Ontem, fomos, com muito pesar ao enterro da companheira e amiga, Rose Zanardo. A Rose, advogada, militante petista e feminista. Foi secretária municipal em Sarandi na gestão do PT, secretaria de formaçao política do PT, entre outras funções relevantes. Guardo muitas lembranças da Rose, das discussões quando nossos posicionamentos eram diferentes, da alegria nas conquistas, da seriedade no trabalho.
A Rose se empenhou com muita garra no Projeto Memórias do PT do Paraná, que culminou no livro "Os Anos Heróicos - o Partido dos Trabalhadores do Paraná do Nascimento até 1990", escrito por Roberto Elias Salomão (Edição do PT, Curitiba, 2010). Para viabilizar o projeto, viajou pelo Estado todo, colaborando na organizaçao do eventos, dos depoimentos e entrevistas.
Ela sempre agradecia publicamente o Setorial de Mulheres do PT de Maringá por ter contribuido para sua formação política.
Da Rose sentiremos saudades. Fica seu valor. Fica sua risada, escandalosamente gostosa.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Uma segunda-feira em 2011...

Não se trata de uma segunda-feira qualquer. É o primeiro dia considerado útil do novo ano. Mesmo depois de recebermos inúmeros e maravilhosos bons desejos, nos deparamos com notícias tristes. Uma dessas notícias, enviada por um amigo, é sobre a morte de um professor cujo assassino é um aluno insatisfeito que desferiu um golpe de faca no professor. A notícia foi divulgada no site da Sociedade Brasileira da Computação. Também foi divulgado o comentário feito por outro professor em seu blog: http://acfrery.blogspot.com/2010/12/desagravo-do-prof-igor-ao-assassinato.html
Claro que sabemos que o mundo mudou, surgem novos métodos de ensino e as tecnologias estão aí para serem aperfeiçoadas e utilizadas em grande escala. No entanto, alguma coisa está errada e não combina com o avanço do conhecimento do ser humano.
Afinal, se existe evolução, o que estamos fazendo com esse conhecimento que possibilita que ainda haja guerras, agressões e violência de toda ordem?
Mesmo muitos dos nossos inventos, como a própria rede de computadores, terem seu uso e desenvolvimento impulsionados pela guerra, nós seres humanos, deveríamos ter a capacidade para modificar os comportamentos destrutivos. Deveríamos ter essa capacidade para que os bons desejos de Natal e Ano Novo fossem fortalecidos e vividos em cada dia.