Para compartilhar idéias!



sábado, 24 de julho de 2010

Não precisa mais ver "Law and Order"

Impressionante as cenas e os atos de violência que são mostrados nos meios de comunicação. Para quem gosta de filme policial e de violência, nem precisa mais se preocupar em acompanhar os seriados e ver filmes do gênero pois os jornais televisivos mostram os crimes em detalhes. E a frequência de crimes tem sido assustadora. Atos macabros e desumanos são apresentados como se fizessem parte da essência do ser humano. Inclusive, se alguém não sabe como cometer um crime, está muito fácil ter idéias, basta acompanhar os noticiários.
Cadê o amor e o respeito? Por onde andam? Se a sociedade caminha para o egocentrismo e o consumismo desenfreado e as pessoas se afastam, cada vez mais, dos valores essenciais, o nosso futuro é temeroso.

Cenas do parque II

Fui caminhar no Parque Alfredo Nyffler agora à tarde e novamente pude vislumbrar a beleza do local, as crianças jogando bola e brincando no parquinho existente, adultos e jovens caminhando...enfim uma vida de parque. No entanto, as placas continuam desbotadas e irreconhecíveis, o parquinho é sem vida, a falta de segurança continua a mesma...
Mas, ao sair vi uma dessas imagens com que a vida nos presenteia: um céu com tons lilás e azul, com uma linda lua cheia e passáros migrando em forma de V. É um imagem para apreciar e desfrutar. Que bom estar lá.
E fiquei pensando que essa imagem estava lá como presente e o parque, que é obra dos seres humanos, poderia também ser seguro, mais sinalizado e mais bonito. Aí, a cena ficaria completa.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Para refletir...

De Augusto Cury, no livro "O vendedor de sonhos":
"Quando considero a brevidade da existência dentro do pequeno parentêse do tempo e reflito sobre tudo o que está além de mim e depois de mim, enxergo minha pequenez. Quando considero que um dia tombarei no sliêncio de um túmulo, tragado pela vastidão da existência, compreendo minhas extensas limitações e, ao deparar com elas, deixo de ser deus e liberto-me para ser apenas um ser humano. Saio da condição de centro do universo para ser apenas um andante nas trajetórias que desconheço..."

sábado, 17 de julho de 2010

Ong Maria do Ingá-Direitos da Mulher

A ong Maria do Ingá existe desde o ano 2001. Foram definidos como atuação dois grandes objetivos: a formação e a informação na área de direitos da mulher. Participamos do Conselho Municipal da Mulher de Maringá e procuramos estar presente em todas as discussões que promovam a qualidade de vida e preserve os direitos das pessoas. Assim, fomos ao Congresso das Cidades, a Conferência da Saúde, à Conferência da Mulher e as reuniões sobre o meio ambiente. Apoiamos iniciativas como a preservação da nossa antiga rodoviária, entre outras situações ligadas à vida da cidade. Participamos de eventos do Dia Internacional Mulher como palestrantes em algumas entidades sindicais. Tivemos um grande evento com mulheres da UEM organizado pelo Sinteemar no Dia Internacional da Mulher.
Realizamos muitas palestras e começamos a receber convite de outras cidades, as quais atendemos, como na Conferência da Mulher de Sarandi, debate com professoras e alunos em Lobato, debate com mulheres da Igreja em Paiçandu e no encontro de formação de mulheres em Curitiba. Enfim, estamos sempre dispostas a colaborar com a discussões de gênero na linha de direitos da mulher.
De 2001 prá cá muita coisa mudou: foram criados organismos de apoio às mulheres vítimas de violência, a Lei Maria da Penha, a Secretaria Nacional de Política para Mulheres, entre outras. Mas, sabemos que ainda temos muito que lutar pelo fim da discriminação contra à mulher.
Para entrar em contato, para trocar idéias ou para realizarmos discussões sobre o tema direitos da mulher (saúde, política, trabalho...) pode enviar e-mail para o endereço taniatait@bs2.com.br
Estamos organizando um blog da ong Maria do Ingá e disponibilizaremos em breve!

A Internet em nossas vidas: o desafio.

Não dá mais prá fugir do uso da Internet para lazer, negócios, contatos, acesso à serviços, entre outros. Desde 1995, a Internet entrou em nossas vidas e ocupou espaços trazendo e levando informações a velocidade e quantidades gigantescas. Isso fez com que modificassemos comportamentos e o uso do nosso tempo para ficarmos conectados.
Entretanto, essa tecnologia trouxe também alguns problemas de ordem legal, psicológicos e de saúde. Muitos crimes como a pedofilia encotraram um terreno fértil na rede de computadores. Problemas de isolamento social e vício eletrônico começam a surgir. As doenças por má postura e as lesões por esforços repetitivos tornam-se frequentes. Além da exclusão digital que isola muitas pessoas do mundo da informação.
Na teia da rede de computadores, portanto, o desafio está em compatibilizar o bom uso com a eliminação dos problemas.
Preste atenção nos sinais e faça um grande uso dessa grande tecnologia que temos à nossa disposição.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Campanha eleitoral na Internet

Para acompanhar as campanhas eleitorais, pode acessar:
www.dilma13.com.br
www.gleisi.com.br
www.enioverri.com.br

Tem também o site do PT de Maringá: http://www.ptmaringa.org.br

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Sucesso: Comitê Suprapartidário de Mulheres Pró-Dilma e Gleisi

Mesmo debaixo de uma chuva torrencial, cerca de 50 mulheres e alguns homens estiveram reunidas (os) para o lançamento do Comitê Suprapartidário de Mulheres Pró-Dilma e Gleisi. O evento foi um sucesso e contou com a presença de lideranças femininas dos partidos PMDB, PT, PCdoB, PDT e PSC; de representantes de associações de moradores; lideranças sindicais; movimentos organizados de mulheres; entre outros. Vários encaminhamentos foram deliberados. Dentre eles, foi criada a coordenação geral composta por mulheres representantes dos partidos presentes. Em breve divulgaremos o local do Comitê e a agenda das realizações.
Acompanhe as campanhas eleitorais pelos sites:
www.ptmaringa.org.br
www.gleisi.com.br
www.dilma13.com.br

terça-feira, 13 de julho de 2010

"Quando uma mulher entra na política..."

No dia 15/07 (quinta-feira) às 19 horas, no Hotel Elo, em Maringá teremos o lançamento do Comitê Suprapartidário de Mulheres pró-Dilma e Gleisi. Mulheres de várias organizações (ongs, igrejas, associações de moradores, entre outras) e de partidos políticos (PT, PMDB, PDT e PCdoB) confirmaram suas presenças.
Vamos mudar a cara da política!
E, lembrando a ex-presidente do Chile, Michele Bachelet: "Quando uma mulher entra na política muda a mulher, quando muitas mulheres entram na política, muda a política".

Crimes e mais crimes...

Está assustador a onda de assassinatos de mulheres. Temos que refletir sobre o que está acontecendo para que homens se sintam com direito de tirar a vida das mulheres, que, inclusive, foram suas esposas, namoradas, companheiras...

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Que crueldade é essa???

Num dia muitos beijos e muito amor, noutro um esquartejamento da mulher. Vimos estarrecidos pela TV as notícias do sequestro e assassinato de Eliza Samudio pelo goleiro do Flamengo, o Bruno. O que leva uma pessoa a cometer um ato desse tipo? Impunidade? Sentir-se dono do mundo? Dono da alma e do corpo da mulher?
O fim da violência contra a mulher tem sido uma luta constante dos movimentos organizados de mulheres. Grandes instrumentos de apoio às mulheres vítimas de violência foram criados como a Casa Abrigo, as Delegacias da Mulher, as Centrais de Atendimento e a Lei Maria da Penha. No entanto, nem todo esse aparato tem protegido as mulheres e as crianças de crueldade de homens que se sentem seus proprietários a ponto de disporem de suas vidas.
Os números de lesões corporais e assassinatos de mulheres continuam aumentando. Ainda não se sabe se o aumento é devido à maior procura por parte das mulheres de proteção ou se os casos tem aumentado a despeito da Lei Maria da Penha.
Sabe-se que a Lei Maria da Penha tem encontrado dificuldades de implementação pelos órgãos competentes; que os crimes contra a mulher ainda são caracterizados culturalmente como "problema de casal"; que se busca justificar os motivos que levam o infrator a cometer o crime para tentar inocenta-lo de um ato cruel.
Hoje pela manhã, por exemplo, no Progama Ana Maria teve uma reportagem falando sobre a vida de menino pobre do goleiro Bruno.
E eu pergunto e daí? Se todo mundo que teve dificuldades sair matando quem passa pela sua vida, o que seria da humanidade?
Não duvido que daqui a pouco vão inocentar o assassino e ele ainda sair de vítima dessa história cruel.
Não podemos permitir que esse e outros crimes contra à mulher sejam esquecidos e os assassinos saiam impunes.
Que se faça cumprir a lei!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Comitê Suprapartidário Pró Dilma e Gleisi

Nós, mulheres não podemos nos omitir diante dos rumos do país. Acreditamos que as mulheres obtiveram muitas conquistas no Governo Lula, que irão sedimentar as políticas públicas de gênero nos próximos anos. No entanto, sabemos que um governo que não tenha essa linha de atuação colocará em risco nossas conquistas.
Para tanto, convidamos as mulheres para participar do lançamento do Comitê Suprapartidário Pró-Dilma e Gleisi.
Será no dia 15/07, às 19 hs no Hotel Elo (Av. Duque de Caxias esquina com Rua Arthur Thomas).
Participe! A política só é suja se nós não atuarmos nela!

Comitê Suprapartidário de Mulheres Pró-Dilma e Glesi

terça-feira, 6 de julho de 2010

Pelo fim da violência contra a mulher!

Estivemos na Record agora a tarde para reuniao com a direção da TV. Na reunião estavam presentes: Diretor Gustavo Garcia; repórter Léo Junior, editor Marcelo Bulgarelli, Zica Franco (ong Maria do Ingá), Terezinha Pereira (Secretária Municipal da Mulher) e Maria Cecília (Coordenadora da Maria Mariá Central de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência) e eu (Maria do Ingá).
O assunto foi a apresentação no Programa Balanço Geral e a "brincadeira" realizada pelo repórter com relação ao episódio do rapaz que foi tentar se reconciliar com a mulher e deu um tiro que acertou na orelha da sogra.
Na IV Conferência foi aprovada por unanimidade uma moção de repúdio ao programa e ao repórter pela brincadeira realizada sobre a orelha da sogra e as desculpas dadas pela atitude do rapaz.
Para entender o posicionamento das delegadas e delegados da conferência basta verificar o número alarmante de casos de violência contra à mulher que torna a luta pelo fim da violência uma ação programática nas esferas federal, estadual e municipal. Colocar fim nessa violência trouxe uma série de medidas que vem sendo tomadas ao longo dos anos: a Lei Maria da Penha, a Campanha Laço Branco, entre muitas outras.
Mas, também no nosso dia-a-dia devemos colocar em prática atitudes que inibiam qualquer tipo de violência. A rejeiçao às piadinhas de mau gosto, a não aceitação de atitudes violentas, a não divulgação de músicas que desvalorizam a mulher são iniciativas que parecem pequenas, mas que somadas, contribuem para tratar a violência contra a mulher com a seriedade e respeito que o assunto exige.
E aí entram os programas de TV que podem prestar um serviço de relevância para a comunidade com campanhas pelo fim da violência contra a mulher.
Nesse sentido, a Conferência deliberou que se utilize o mesmo tempo que o repórter usou para seu programa, para tratar o tema violência contra a mulher e a Lei Maria da Penha. Esse foi um dos temas tratados na reunião e que será encaminhado pelo editor chefe, pela secretaria da mulher e pelo Conselho da Mulher, atendendo a solicitação da IV Conferência Municipal da Mulher de Maringá.
E ainda há que duvide das formas de organização das mulheres...

domingo, 4 de julho de 2010

E em São Paulo...

Vim passar o final de semana em São Paulo para o aniversário do meu sobrinho. Aqui vi o Brasil perder no futebol, a Argentina perder, uma pesquisa de empate entre Dilma e Serra e muitas outras informações. Gosto dos meus 3 dias de Sampa. Digo 3 pois mais do que isso já sinto os efeitos da poluição. Mas, São Paulo tem o seu charme e aqui tudo acontece, como uma exposição de robótica em que robôs desenham rostos humanos ou reproduzem imagens e movimentos.