Para compartilhar idéias!



domingo, 3 de abril de 2016

Os vereadores, a violência contra a mulher e a política.



Além de tirar fotos com camisetas presenteadas pela Secretaria da Mulher, com os dizeres “Violência contra a mulher: sou contra”, os vereadores de Maringá tiveram contato em várias ocasiões com a temática em questão.
 Na gestão anterior da Câmara, o Forum Maringaense de Mulheres participou de sessões da Câmara para falar sobre a violência contra a mulher em duas ocasiões. Na primeira, o Forum foi convidado para fazer uso da tribuna, quando apresentou dados da violência e a situação da mulher vítima de violência em Maringá e  no Estado do Paraná.
Na segunda oportunidade, o Forum foi convidado para apresentar no "Fala Comunidade". Ressalta-se que permaneceram presentes durante todo o evento, os vereadores Humberto Henrique (PT), Mario Verri (PT), Carlos Maiucci (PT) e Ulisses Maia (PDT). Alguns vereadores passaram pelo local por alguns minutos e não permaneceram.
No episódio que envolveu o vereador Luizinho Gari, preso por denúncia pela Lei Maria da Penha, por ameaças a sua ex-esposa, os vereadores da Câmara Municipal tiveram a oportunidade de colocar na prática tudo que ouviram, principalmente no convite para usar a tribuna pelo Forum, quando todos estavam presentes. Falta de informação certamente não foi. Poderiam os 9 vereadores que votaram contra a comissão de ética para o vereador agressor terem considerado todas as discussões travadas nos eventos citados em que a violência contra a mulher foi realizada, inclusive com propostas do Forum Maringaense de Mulheres para a cidade de Maringá.
Então, se não foi falta de informação, certamente o componente “política” direcionou a votação desses 9 vereadores que compõem a base do prefeito, da qual o vereador agressor preso faz parte. Os vereadores ignoraram o pacto realizado em todo o Brasil pelo fim da violência contra a mulher, ignoraram as próprias discussões travadas na casa de leis e, acima de tudo, ignoraram a reivindicação das mulheres para dar um basta na violência contra a mulher. 
Postura diferente tiveram os 4 vereadores que votaram a favor da instauração da comissão de ética, Humberto Henrique (PT), Mario Verri (PT), Flavio Vicente (Rede) e Ulisses Maia (PDT) que compreenderam a grave situação que é a violência contra a mulher diante da qual  a sociedade não pode ficar calada.
Lamentável a postura desses outros 9 vereadores que tiveram a grande oportunidade de contribuir para o fim da violência contra a mulher mas, ao invés disso, “passaram a mão da cabeça do agressor” como se o que ele fez não fosse crime, mesmo estando previsto na Lei Maria da Penha, que completa 10 anos de uso, em agosto de 2016.
Tirar foto com camiseta é fácil, ser contra a violência contra a mulher de verdade, é outra história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário